A venda pomerana no Espírito Santo: lugar sociopolítico, econômico e identitário (1857 - 2021)

Nome: Cione Marta Raasch Manske
Tipo: Tese de doutorado
Data de publicação: 11/05/2021
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Maria Cristina Dadalto Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Adriana Pereira Campos Examinador Interno
Fabiene Passamani Mariano Examinador Externo
Maria Cristina Dadalto Orientador
Renata Siuda-Ambroziak Coorientador
Sergio Luiz Marlow Examinador Externo
Vânia Alves Martins Chaigar Examinador Externo

Resumo: Esta tese aborda a relação dos pomeranos e descendentes com as vendas em Santa Maria de Jetibá, estado do Espírito Santo (Brasil). Toma-se como objeto de análise as vendas como lugares de sociabilidade, de economia, de poder e de reconhecimento étnico e identitário desses imigrantes e de seus descendentes. A tese da pesquisa entende que a identidade étnica, trazida na bagagem dos imigrantes da Pomerânia, no deslocamento para o Espírito Santo nos Oitocentos e no assentamento em Santa Maria de Jetibá, permanece sendo tecida na memória e no cotidiano das vendas até a contemporaneidade. As relações socioculturais, a economia e as negociações de poder entre os membros desse grupo integram-se a essa conviviabilidade. O uso das línguas pomerana, alemã e o português, esteve presente como fator de apoio e agregação dos vendeiros com os imigrantes e seus descendentes de forma contínua durante todo o processo de tessitura do ordenamento e de permanência dos imigrantes e descendentes pomeranos no território de Santa Maria de Jetibá. Os vendeiros, dado o poder sociopolítico e econômico que tinham sobre os imigrantes e descendentes, viviam relações conflituosas com os pastores luteranos. Esses sempre foram partícipes ativos da integração do grupo e símbolos da manutenção dos valores religiosos carregados nos baús da travessia atlântica. Os pastores luteranos, dirigentes da Igreja a que a maioria dos pomeranos era filiada, ao mesmo tempo, alcançam repercussão nas disputas com os vendeiros por espaço de poder socioeconômico e político. A análise dessa constituição é fundamentada no corpo documental da pesquisa por meio das fontes escritas, bibliografias, e fontes orais. Conclui que memória, identidade e etnia consubstanciam o lugar das vendas nas histórias de vida e nas trajetórias dos pomeranos e descendentes em Santa Maria de Jetibá.

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910